BRUXELAS

Bruxelas é a capital da Bélgica e a principal cidade do país e da província de Brabante, à qual pertence. Situa-se junto ao rio Sheldt. É influenciada por um clima temperado marítimo. As temperaturas em janeiro variam entre -1 e 4 °C e em julho variam entre os 12 e os 23 °C. Possui uma população total de 983 900 habitantes. O natural ou habitante de Bruxelas denomina-se bruxelense ou bruxelês.

O nome da cidade deriva da palavra holandesa Broekzelle, que significa “aldeia do pântano”. Bruxelas foi antes do século XII uma colónia galo-romana situada na área pantanosa do vale do rio Sena. Em 1695, a cidade foi intensamente bombardeada pelos Franceses e em 1713 os Espanhóis concederam à Áustria a governação dos Países Baixos. Durante a Revolução Francesa, em 1792, a cidade caiu em poder dos Franceses, que a controlaram até ao final das Guerras Napoleónicas. Só em 1815, pelo estabelecido no Congresso de Viena, Bruxelas seria integrada no Reino dos Países Baixos e em 1831 a Bélgica conseguiu converter-se no Reino da Bélgica, tendo sido ocupada pelos Alemães durante a Primeira e a Segunda Guerras Mundiais. Esta capital europeia possui importantes e variados monumentos, dos quais se destacam a Catedral de São Miguel, construída em estilo gótico no século XIII e famosa pelos seus vitrais; a Igreja de Saint Jaques; o Palácio Real e o Palácio da Nação, ambos do século XVIII; o edifício civil que corresponde ao Hôtel de Ville, de estilo gótico, que data do século XV; e ainda, o Palácio da Justiça e o edifício da Bolsa, do século XIX. A Praça Grande no Centro de Bruxelas, reodeada de edifícios de estilo barroco, foi considerada em 1998, pela UNESCO, Património Mundial. O Atomium, levantado em 1958, converteu-se em símbolo da capital belga. Todo de alumínio, representa uma molécula de ferro de 102 metros de altura e 18 de diâmetro.

Bruxelas

Economia
Na cidade de Bruxelas existem organismos da Comunidade Económica Europeia, atualmente União Europeia (UE), desde 1958, e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). Possui instituições culturais variadas, como por exemplo duas universidades (uma em que se fala o francês e a outra em que se fala o holandês), a Real Escola Militar e Academias de Belas-Artes. Bruxelas corresponde ao principal centro ferroviário do país e está interligada com uma rede de canais interiores, através dos quais estabelece ligação com o mar. Possui por isso uma zona portuária situada a norte, perto de Vilvoorde. É famosa pela produção artesanal de rendas e tapeçarias e pelas couves-de-bruxelas, produzidas a partir de couves da região desde o século XIII. Exporta produtos de ferro, mármore, carvão e vidro, entre outros. A indústria é variada, podendo sublinhar-se a da cerveja, as destilarias, a refinação de açúcar, a fundição de ferro, a dos têxteis, a do material eletrónico e a de mobiliário.

O QUE VISITAR EM BRUXELAS

Grand Place, a maior e melhor praça!

A Grand Place é considerada por muitos a praça mais bonita do mundo (onde estão também os melhores chocolates do mundo!!!). O clima, a luz, as histórias fazem desta praça realmente uma das mais belas do mundo. A praça conta com edifícios muito bonitos à sua volta, onde se destaca o Hotel de Ville, a Maison du Roi ,a Maison des Brasseurs e as Guildas. Perca-se na iluminação magnifica desta Praça, veja o dia a mudar a cor das fotos mudando e as pessoas andando de um lado para o outro, enquando aprecia deixa-se levar por um belo chocolate. Uma praça “Le Grand Place” sem dúvida Encantadora!

La Grand Place

ATOMIUM

Foi construído em 1958 sob o pretexto da Exposição Universal e sim, ainda hoje é impressionante vê-lo desde os jardins de Bruxelas; só temos de imaginar que tipo de monumento seria para os belgas naquela época. Na verdade, serve de miradouro, já que depois de subir as suas escadas temos uma impressionante vista panorâmica da cidadeDE Bruxelas. Por outro lado, desde o centro de Bruxelas, a linha do horizonte belga aparece sempre com a distinta silhueta ao longe do Atomium. É uma visita obrigatória se estivermos na capital belga.

Atomium

A IGREJA NOTRE DAME DU SABLON

A Igreja Notre Dame du Sablon foi construída em 1304, numa praça deserta, pelos arqueiros da cidade. Mas foi reconstruída mais tarde no século XV.
Actualmente, esta igreja é uma referência do estilo ojival em toda a Bélgica. No seu interior podemos encontrar 11 magníficos vitrais de 15 metros de altura.

Notre Dame du Sablon

RUE DES BOUCHERS

Há várias ruas ao redor da Grand Place que reflectem o comércio a que se dedicavam. A Rue des Bouchers começa no centro das Galerias Saint Hubert tem um grande número de restaurantes famosos pelas montras coloridas. É ali que pode comer o  mais conhecido prato belga, as Moules que são uns mexilhões muito deliciosos servidos com batatas fritas a acompanhar. Já agora para os que gostam de uns belos petiscos, dê uma vista de olhos em http://petiscosdasofia.blogspot.pt/.

Rue des Bouchers

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>